rotulo alimentar

Rótulos de alimentos

Como ler e fazer as escolhas certas.

Atualmente temos uma infinidade de produtos disponíveis no mercado vendidos como light, zero, fit, diet, sem gorduras trans etc., mas o fato de um alimento conter este título não o torna automaticamente saudável, é importante estar atento as demais informações e ingredientes para avaliar se este produto de fato deve fazer parte da sua alimentação.

Com o objetivo de garantir a segurança do consumidor a Anvisa dispõe de leis e normas que estabelecem o que os fabricantes devem declarar nos rótulos,  como  ingredientes, porção e alergênicos.

informação nutricional

Na imagem acima constam as informações obrigatórias, com exceção de minerais e vitaminas, que podem ser declarados quando pertinente (por exemplo cálcio em iogurtes).

A coluna do percentual corresponde sempre a uma dieta de 2.000 kcal, importante ter isso em mente, pois a sua necessidade diária pode ser diferente (maior ou menor dependendo dos seus objetivos).

Mas onde estão as “pegadinhas”?

Porção – atenção a esta informação pois a porção pode corresponder a uma pequena fração do alimento, por exemplo as barras de chocolates comumente encontradas em supermercados pesam de 90 a 110g aproximadamente, a porção declarada varia de 25g a 30g, se no rótulo consta que uma porção de 25g contém 165 kcal (1/4) da barra, a barra toda contém 660 kcal, portanto fique atento as quantidades ingeridas.

Em grande parte dos temperos industrializados como caldos em tablete (galinha, carne, etc) a informação nutricional está calculada por meia porção para disfarçar a quantidade absurda de sódio contida nestes produtos.

Ingredientes – nos produtos ultra processados como batatas chips, bolinhos de saquinho, sucos artificiais é comum encontrar nomes estranhos de conservantes, acidulantes, estabilizantes e por aí vai. A dica é: Menos é mais, quanto menos ingredientes com nomes esquisitos melhor, se não tiver nenhum, melhor ainda.

Outro dado importante é que os ingredientes vêm listados em ordem decrescente, portanto se o primeiro ingrediente da lista de um produto for açúcar melhor optar por outro alimento.

Ressaltar características naturais do alimento – Depois que a mídia passou a divulgar vilões da indústria alimentícia como as gorduras trans, glutamato monossódico entre outros,  algumas marcas passaram a declarar em seus rótulos: Livre de gorduras trans, para alimentos que nunca tiveram esse composto como o óleo de soja, para evitar que o consumidor fosse enganado a legislação obrigou a inclusão da informação: como todo óleo de soja (que está em letras minúsculas lá no cantinho). Portanto fique atento, não pague mais caro sem necessidade.

Além destes itens sempre confira a data de validade e forma de armazenamento para evitar desperdício e manter a qualidade dos alimentos.

No próximo post vou aprofundar as diferenças entre Diet, Light e Zero.

Mas lembre-se, sempre opte por alimentos in natura, pratos sem temperos artificiais preparados sem adição de corantes e conservantes.

Na Tal da Marmita você encontra refeições saudáveis com ótimo custo benefício feitas com amor e comida de verdade!

Se gostou, conheça os demais textos!


Sara Assumpção, Nutricionista consultora em Food Service e varejo alimentar, formada e pós-graduada em Padrões Gastronômicos pela Universidade Anhembi Morumbi. Responsável pelas receitas da A Tal da Marmita, completamente apaixonada por cozinhar e experimentar novos sabores! CRN3: 23919