dietxlightxzero

DIET x LIGHT x ZERO

Entenda as diferenças e escolha o que é melhor para o seu caso.

Com a modernização da indústria e a mudança gradativa de hábitos da população encontramos maior disponibilidade de produtos DIET, LIGHT E ZERO nas prateleiras dos supermercados. Mas você sabe qual a diferença entre eles?

Na hora de escolher, consegue selecionar o que se enquadra para seus objetivos?

DIET

São produtos feitos para atender as necessidades de populações com restrições alimentares, como os diabéticos com dieta restrita em açúcares, ou hipertensos com ingestão controlada de sódio. Quando comparados ao mesmo produto na versão tradicional eles apresentam redução ou isenção do ingrediente. Mas fique atento, não vale só para açúcar, pode ser gordura, sódio ou outro ingrediente que se enquadre no que determina a legislação vigente.

Como exemplo vamos analisar o rótulo do chocolate ao leite:

chocolate ao leite x chocolate ao leite diet

Podemos observar que o chocolate ao leite DIET possui redução de açúcares, porém tem mais calorias e gorduras totais que a versão tradicional. Portanto é recomendado para dietas com redução de açúcar, mas não para pessoas que estão buscando emagrecer.

Vale ressaltar que o chocolate DIET não é zero açúcar, possui açúcar natural das matérias primas utilizadas, também não é um produto com valor energético reduzido (calorias), vide informação sublinhada em vermelho no rótulo DIET. Portanto pode ser consumido com moderação por pessoas diabéticas (sempre conforme recomendação de um profissional especializado).

LIGHT

são produtos com redução de pelo menos 25% de algum ingrediente quando comparados a versão tradicional, podendo ser calorias, sódio, açúcares, gorduras etc.

O Shoyu Light possui pelo menos 25% de redução de sódio em relação a versão tradicional, como exemplo uma marca famosa do produto que possui 30% a menos de sódio na versão light, recomendado para pessoas que desejam consumir menos sódio como hipertensos ou que desejam minimizar a retenção de líquidos causada pelo alto consumo de sal.

shoyu light x shoyu normal


ZERO

O último termo a ser adicionado na legislação e o mais controverso deles.

Costuma causar confusão pois as indústrias utilizam termos como: Contém ZERO ADIÇÃO de açúcares (não tem açúcar adicionado, mas pode conter açúcar das próprias matérias primas como frutas).

Contém ZERO AÇÚCAR – este sim, não contém adição de açúcar nem matérias primas que possuam açúcar naturalmente.

Para que um produto contenha a informação ZERO AÇÚCAR no rótulo a legislação diz o seguinte:

1. O alimento não pode conter: 1.1. Açúcares adicionados; 1.2. Ingredientes que contenham açúcares adicionados; e 1.3. Ingredientes que contenham naturalmente açúcares e que sejam adicionados aos alimentos como substitutos dos açúcares para fornecer sabor doce. (Item 5.1. CONTEÚDO ABSOLUTO – RDC Nº 54, DE 12 DE NOVEMBRO DE 2012).

Portanto fique atento na hora de escolher sempre pensando em qual seu objetivo, se você é diabético e está procurando produtos sem açúcar nenhum, busque a informação ZERO AÇÚCAR nos rótulos.

Caso você esteja fazendo dieta e deseja apenas reduzir o consumo de açúcar, mas consome o açúcar natural dos alimentos como frutas por exemplo, pode comprar produtos com a informação: Contém ZERO ADIÇÃO de açúcares.

Importante: a informação ZERO ou ZERO ADIÇÃO, também pode ser usada para outros ingredientes como sódio, gordura etc. Leia com atenção sempre pensando no seu caso específico.

E lembre-se: As quantidades são fundamentais, de nada adianta escolher um iogurte light e comer 2 ou 3 ao invés de 1, coma com moderação e busque a orientação de um profissional para te auxiliar no caso de dúvidas.

Na Tal da Marmita você encontra opções de doces e lanches sem adição de açúcares, muito saborosos como a cocada FIT, assim você pode matar aquela vontade de comer um docinho sem sair da dieta.

Quer saber mais sobre o assunto? Leia esta cartilha da Anvisa

Se gostou, conheça os demais textos!

Sara Assumpção, Nutricionista consultora em Food Service e varejo alimentar, formada e pós-graduada em Padrões Gastronômicos pela Universidade Anhembi Morumbi. Responsável pelas receitas da A Tal da Marmita, completamente apaixonada por cozinhar e experimentar novos sabores! CRN3: 23919

para onde vai seu lixo

Para onde vai seu lixo?

Cerca de 76% do lixo diário brasileiro, que chega a 70 milhões de quilos, são despejados em céu aberto. Somente 10% vai para lixões controlados, 9% vai para aterros sanitários e somente 2% é reciclado.

O tempo de decomposição do lixo varia de acordo com cada produto descartado. Alguns materiais como plásticos levam centenas de anos para sumir completamente do ambiente. O problema é que independente do tempo de decomposição, a maioria desses materiais, causam sérios danos ao meio ambiente e aos seres vivos, principalmente quando descartados de maneira incorreta.

Todos somos responsáveis por uma mudança de comportamento para salvar o nosso planeta. O lixo que produzimos deve começar com o descarte sendo feito de maneira correta para que os impactos ao meio ambiente sejam reduzidos.

Então como devo separar os meus resíduos em casa ?

O programa de coleta seletiva exige que a população separe seu lixo em dois tipos : secos ( recicláveis) e molhados

( orgânicos/não recicláveis).

Lixo seco – Tudo que pode ser reciclado. Inclui resíduos como : papel, jornal, vidro, metal, plástico, embalagem longa vida;

Lixo molhado – Todo aquele orgânico ou não reciclável. Inclui resíduos como restos alimentares, resíduos de banheiro, guardanapos sujos, esponjas de aço, palitos usados.

Alguns pontos importantes:

  • Tenha duas lixeiras em casa para fazer a separação.
  • Lave rapidamente as embalagens recicláveis antes do descarte.
  • Resíduos de vidro dever ser descartados embalados separadamente, pois podem quebrar. Mas é importante reutilizá-los sempre possível.
  • Existem resíduos especiais ( lâmpadas, remédios, pilhas) que não podem ser jogados no lixo comum. Nesse caso, descubra locais específicos para descarte.
  • O ideal pro lixo orgânico é a compostagem para transformá-lo em adubo, mas sabemos que nem todos tem como fazer em casa.

Quando você separa corretamente seu lixo, contribui para a geração de emprego e renda de catadores de recicláveis, profissionais de  grande importância para a redução de desperdícios de recursos naturais e do acúmulo de lixo no meio ambiente.

 Além disso podemos utilizar melhor os alimentos, como cascas e partes que normalmente descartamos para preparar receitas, as cascas de ovos  por exemplo podem ser utilizadas nas plantas para adubar a terra.

Nossas embalagens de marmitas também podem ser reutilizadas por vocês, após lavá-las utilizem para guardar alimentos, ou utensílios de cozinha. Caso não queiram, é importante fazer o descarte correto como explicado acima.

Você Sabia?

Na cidade de São Paulo temos a coleta seletiva que uma vez por semana passa realiza a coleta, para saber o dia correto que a coleta é feita na sua residência acesse esse link e informe seu cep.

Para aqueles itens maiores como móveis velhos, entulhos ou poda de árvore pode ser feito nos ecopontos espalhados em toda a capital, consulte aqui.

Separe seu lixo, recicle suas idéias, salve nosso planeta!!

Se gostou, conheça os demais textos!

Luciana Ferreira Ragazzon Crn3 27295
Nutricionista especializada em Nutrição Esportiva, pós graduada em Nutrição Clínica Pediátrica.
Responsável pelo acompanhamento nutricional da Tal da Marmita

rotulo alimentar

Rótulos de alimentos

Como ler e fazer as escolhas certas.

Atualmente temos uma infinidade de produtos disponíveis no mercado vendidos como light, zero, fit, diet, sem gorduras trans etc., mas o fato de um alimento conter este título não o torna automaticamente saudável, é importante estar atento as demais informações e ingredientes para avaliar se este produto de fato deve fazer parte da sua alimentação.

Com o objetivo de garantir a segurança do consumidor a Anvisa dispõe de leis e normas que estabelecem o que os fabricantes devem declarar nos rótulos,  como  ingredientes, porção e alergênicos.

informação nutricional

Na imagem acima constam as informações obrigatórias, com exceção de minerais e vitaminas, que podem ser declarados quando pertinente (por exemplo cálcio em iogurtes).

A coluna do percentual corresponde sempre a uma dieta de 2.000 kcal, importante ter isso em mente, pois a sua necessidade diária pode ser diferente (maior ou menor dependendo dos seus objetivos).

Mas onde estão as “pegadinhas”?

Porção – atenção a esta informação pois a porção pode corresponder a uma pequena fração do alimento, por exemplo as barras de chocolates comumente encontradas em supermercados pesam de 90 a 110g aproximadamente, a porção declarada varia de 25g a 30g, se no rótulo consta que uma porção de 25g contém 165 kcal (1/4) da barra, a barra toda contém 660 kcal, portanto fique atento as quantidades ingeridas.

Em grande parte dos temperos industrializados como caldos em tablete (galinha, carne, etc) a informação nutricional está calculada por meia porção para disfarçar a quantidade absurda de sódio contida nestes produtos.

Ingredientes – nos produtos ultra processados como batatas chips, bolinhos de saquinho, sucos artificiais é comum encontrar nomes estranhos de conservantes, acidulantes, estabilizantes e por aí vai. A dica é: Menos é mais, quanto menos ingredientes com nomes esquisitos melhor, se não tiver nenhum, melhor ainda.

Outro dado importante é que os ingredientes vêm listados em ordem decrescente, portanto se o primeiro ingrediente da lista de um produto for açúcar melhor optar por outro alimento.

Ressaltar características naturais do alimento – Depois que a mídia passou a divulgar vilões da indústria alimentícia como as gorduras trans, glutamato monossódico entre outros,  algumas marcas passaram a declarar em seus rótulos: Livre de gorduras trans, para alimentos que nunca tiveram esse composto como o óleo de soja, para evitar que o consumidor fosse enganado a legislação obrigou a inclusão da informação: como todo óleo de soja (que está em letras minúsculas lá no cantinho). Portanto fique atento, não pague mais caro sem necessidade.

Além destes itens sempre confira a data de validade e forma de armazenamento para evitar desperdício e manter a qualidade dos alimentos.

No próximo post vou aprofundar as diferenças entre Diet, Light e Zero.

Mas lembre-se, sempre opte por alimentos in natura, pratos sem temperos artificiais preparados sem adição de corantes e conservantes.

Na Tal da Marmita você encontra refeições saudáveis com ótimo custo benefício feitas com amor e comida de verdade!

Se gostou, conheça os demais textos!


Sara Assumpção, Nutricionista consultora em Food Service e varejo alimentar, formada e pós-graduada em Padrões Gastronômicos pela Universidade Anhembi Morumbi. Responsável pelas receitas da A Tal da Marmita, completamente apaixonada por cozinhar e experimentar novos sabores! CRN3: 23919

o que comer antes do treino

O que comer antes do treino?

E agora o que devo comer antes do treino? Essa é uma dúvida que recebo frequentemente no consultório por pessoas que praticam atividade física e estão em busca de orientação para obterem melhores resultados.

A alimentação pré-treino é sim muito importante,  porém ela não fará mágica se o restante das refeições do dia e da semana forem ruins.

Existe mais de uma possibilidade de combinações para a refeição que antecede o treino e isso sempre vai depender do objetivo  de cada um, da atividade escolhida e da intensidade do treino, lembrando que esses devem ser calculados individualmente.

E QUANTO AOS SUPLEMENTOS PRÉ-TREINO ?

Eles tem a mesma função da alimentação pré-treino que é melhorar o desempenho durante a atividade física. A variedade oferecida no mercado atualmente é muito grande, cada um tem uma utilidade e cabe ao atleta procurar um profissional para orientá-lo sobre o consumo. Os principais são creatina, cafeína e BCAA.


É claro que o ideal é dar preferência para comer “ comida de verdade”, mas em alguns casos específicos é necessário introduzir a suplementação para alcançar melhores resultados.

HIDRATE-SE

Essa é uma prática tão fundamental quanto a alimentação pré-treino. Através da água, que deve ser consumida antes, durante e depois, podemos alcançar o desempenho esperado e evitar a desidratação.

E não é preciso sentir sede para se hidratar. Sede acontece quando há uma perda hídrica de 2% do peso corporal, ao chegar a 4 % o atleta começa a perder performance.  Logo não deixe de consumir pelo menos 200ml de água a cada 20 minutos de atividade.

Se gostou, conheça os demais textos!


Luciana Ferreira Ragazzon Crn3 27295 Nutricionista especializada em Nutrição Esportiva, pós graduada em Nutrição Clínica Pediátrica. 
Responsável pelo acompanhamento nutricional da Tal da Marmita 
Inspirada em ensinar pessoas a fazer boas escolhas alimentares que as deixem felizes e satisfeitas 

café da manhã saudável

Café da manhã saudável, qual a importância?

Para quem não tem o hábito de tomar café da manhã saudável, qualquer motivo basta para justificar o descompromisso, falta de tempo, preguiça e muitas outras desculpas. Entre a última refeição do dia e a primeira (café da manhã), há um longo período de jejum. Durante o sono, o organismo continua trabalhando, em um ritmo menor, para manter as funções básicas como respirar, funcionamento cardíaco, circulação entre outras.

Pela manhã, ao acordar, é necessário fornecer energia para que sejam realizadas as tarefas do dia, além disso para quem deseja emagrecer, o café da manhã está associado a diminuição da fome nas refeições seguintes.

O QUE COMER EM UM CAFÉ DA MANHÃ SAUDÁVEL

Estudos científicos mostram que comer mais proteínas no café da manhã, ajuda a comer menos nas próximas refeições. Boas fontes de proteínas incluem ovos, iogurte desnatado e queijos magros (ricota e cottage).

Além de escolher uma boa fonte de proteína é importante incluir cereais integrais que são responsáveis pela energia que você precisa para alimentar sua manhã e o resto do dia, fibras ajudam no controle da saciedade e controlar a fome. Boas fontes são: pães integrais com pelo menos 3g de fibra, farinha ou flocos de aveia, quinoa, linhaça, amaranto em flocos ou granola sem açúcar.

Para deixar essa refeição ainda mais completa, você pode adicionar uma fruta de sua preferência, elas proporcionam ao nosso organismo vitaminas e minerais, fibras e antioxidantes.

CAFÉ DA MANHÃ EM MENOS DE 10 MINUTOS

Se você acha que não tem tempo para preparar seu café da manhã, pense novamente. Em apenas 10 minutos ou menos, você pode ter uma refeição saborosa e nutritiva para começar o seu dia com muita disposição.

Aqui vão algumas ideias rápidas para o preparo de um desjejum saudável:

Se gostou, conheça os demais textos!

Luciana Ferreira Ragazzon Crn3 27295

Nutricionista especializada em Nutrição Esportiva, pós graduada em Nutrição Clínica Pediátrica.
Responsável pelo acompanhamento nutricional da Tal da Marmita
Inspirada em ensinar pessoas a fazer boas escolhas alimentares que as deixem felizes e satisfeitas

vegetarianismo-o-que-e

Vegetarianismo o que é?

Cada vez mais estudos demonstram que os alimentos de origem vegetal promovem mais qualidade de vida, em quantidades adequadas podem sim suprir todas as nossas necessidades.

O teor de nutrientes encontrados em vegetais é diferente dos alimentos de origem animal mas em um plano alimentar calculado e equilibrado é possível reunir tudo que nosso organismo necessita com mais cor e sabor, além de muitos benefícios para a saúde.

AS DIFERENTES FORMAS DE VEGETARIANISMO

OVOLACTOVEGETARIANO – Não consomem nenhum tipo de carne, mas utilizam ovos e laticínios;


OVOVEGETARIANO – Não consomem nenhum tipo de carne nem laticínios, mas utilizam ovos;


LACTOVEGETARIANO – Não consomem nenhum tipo de carne, nem ovos, mas utilizam laticínios;


VEGETARIANO – Não consomem nenhum tipo de carne, ovos, mel, laticínios e produtos que incluam derivados animais entre os ingredientes como gelatina, albumina, proteínas do leite, alguns corantes e espessantes.
Vale lembrar que quem consome peixes, frutos do mar entre outros não é considerado vegetariano.

O QUE O VEGETARIANO DEVE COMER

Cereais (arroz, milho, aveia, quinua, amaranto); Leguminosas(feijões, grão de bico, soja, tofu, ervilhas, lentilhas); Oleaginosas (nozes, castanhas e sementes), Amiláceos ( inhame, batata, cará, mandioca, batata doce entre outros) legumes, verduras e frutas.

Todos os nutrientes podem ser supridos com uma alimentação bem planejada, somente a vitamina B12 pode estar em quantidades inadequadas em vegetarianos estritos e nesse caso precisa ser suplementada por médico e/ou nutricionista.


A questão da proteína gera muita confusão, mas vale ressaltar que proteínas também são encontradas em abundância em vegetais, cereais e leguminosas.

Hoje em dia se tornou muito comum encontrar pessoas que escolham o vegetarianismos como alimentação, por questões ecológicas, religiosas, filosóficas ou somente por acharem uma opção mais saudável, mas ainda não há evidências de que essa opção faça com que vegetarianos tenham uma sobrevida maior do que pessoas que consomem carne.

Entretanto, não há duvidas que esse grupo desfruta de algumas vantagens, como níveis de colesterol mais baixos, redução de riscos para ateroscleroses, doenças do coração e derrame cerebral.

Mas caso essa não seja a sua opção, que tal experimentar tirar a carne de apenas um dia da sua semana ? Atualmente temos a campanha da Sociedade Vegetariana Brasileira, conhecida como Segunda Sem Carne.

Um movimento que propõe  conscientizar as pessoas sobre os impactos e uso de alimentos de origem animal. Lembrando que aos fim de semanas o consumo de carne do brasileiro é maior,  então escolher a segunda-feira para uma alimentação mais leve é uma ótima ideia.

Nós apoiamos essa ação, e caso alguém se interesse que tal começar na próxima segunda? Temos algumas opções de marmitas que podem te ajudar a participar dessa iniciativa de maneira gostosa, deixando seu início de semana mais leve e feliz.


Se gostou, conheça os demais textos!

Luciana Ragazzon Crn3 27295
Nutricionista especializada em Nutrição Esportiva, pós graduada em Nutrição Clínica Pediátrica.
Responsável pelo acompanhamento nutricional da Tal da Marmita
Inspirada em ensinar pessoas a fazer boas escolhas alimentares que as deixem felizes e satisfeitas.

dieta-low-carb

O que saber sobre dieta Low Carb.

Hoje em dia a dieta low carb é muito popular e cada vez mais procurada por quem quer perder peso de maneira saudável e sem passar fome. Esse tipo de alimentação consiste em comer uma quantidade mínima de carboidratos e dar preferência as proteínas, principalmente as de baixas calorias. Isso não significa no entanto que escolher essa estratégia é sempre simples, fácil ou o melhor para todo mundo. O ideal é consultar uma nutricionista para que suas necessidades diárias sejam calculadas individualmente, e verificar se a estratégia low carb se adapta a sua realidade.

ENTÃO NÃO PODE COMER CARBOIDRATOS?

Nada disso! A dieta low carb consiste em diminuir o consumo diário de carboidratos e não parar de consumi-los completamente.

Algumas pessoas acreditam que, ao fazer essa dieta, deve-se aumentar a ingestão de proteínas como carnes e ovos e cortar totalmente a ingestão de carboidratos, mas não é assim que funciona.

O QUE COMER E O QUE EVITAR

A maioria dos profissionais que adotam esta estratégia, orientam diminuir as quantidades de carboidratos refinados. Podemos pensar então em: farinhas brancas e açúcar, assim como produtos  produzidos com esses ingredientes como cereais, bolachas, biscoitos, waffles, tortas, pães e doces.


O erro da maioria das pessoas que fazem esse tipo de alimentação sem orientação é aumentar muito o consumo de gorduras e alimentos fontes de proteínas como queijos e embutidos, exagerando nas quantidades e extrapolar nas calorias necessárias diariamente.

Além disso é importante reforçar que não é necessário ter medo do consumo das frutas, elas fornecem nutrientes essenciais ao funcionamento do nosso corpo, sem contar que são deliciosas sobremesas que a natureza nos oferece.


Agora se você escolheu essa opção de alimentação e esta com dúvidas do que comer, temos opções de marmitas low carb super saborosas que podem te ajudar no seu dia a dia.

Se gostou, conheça os demais textos!

Luciana Ragazzon Crn3 27295
Nutricionista especializada em Nutrição Esportiva, pós graduada em Nutrição Clínica Pediátrica.
Responsável pelo acompanhamento nutricional da Tal da Marmita
Inspirada em ensinar pessoas a fazer boas escolhas alimentares que as deixem felizes e satisfeitas.

ataldamarmita-comida-congelada-saudavel

Reeducação alimentar sem sofrimento

Fazer dieta não tem que ser sacrificante, tampouco nos privar de tudo que gostamos de comer. Melhor ainda é não chamar o seu projeto de dieta, e sim de reeducação alimentar, porque dieta implica em fazer restrições por um período de tempo, mas se alimentar de forma saudável e equilibrada deve ser um hábito para vida toda. Para tornar esta tarefa mais fácil temos algumas dicas:

Programe-se

Deixar pra decidir o que comer na última hora aumenta as chances de uma “escorregada”, nem sempre você vai encontrar opções saudáveis. Por isso uma boa ideia é separar o final da tarde de domingo para planejar a semana, organizar o almoço e os lanches que irá levar ao trabalho e também pensar nas opções de jantar. A Tal da marmita tem vários kits com marmitas saudáveis congeladas além de suco detox, salgados e doces fit que podem facilitar e muito sua vida se não conseguiu fazer este planejamento opte por um restaurante por quilo, onde poderá selecionar as quantidades, caso opte por um prato pronto evite comer mais do que o necessário, muitas vezes as porções de arroz  e feijão são muito maiores do que comeríamos normalmente.

Faça substituições para não se privar dos pratos que mais gosta

Adora comer massa? Substitua o macarrão tradicional por integral, se optou pela estratégia lowcarb o espaguete de abobrinha ao sugo ou uma lasanha de berinjela são ótimas opções.


E estrogonofe pode? Pode sim! Troque o ketchup por molho de tomate caseiro, opte por arroz integral e batatas assadas ao invés de fritas. Se deu vontade de comer uma pizza, atum é uma das opções mais leves.
Use sua criatividade para fazer trocas e experimentar coisas novas, uma “panqueca” enrolada na folha de couve fica uma delícia, usar fatias de abobrinha e berinjela para canapés no lugar das torradas também é gostoso.

Simplifique

Muita gente acha que para emagrecer é necessário comer alimentos muito diferentes, usar suplementos, cápsulas  etc. Mas na realidade é muito mais simples, a dupla alimentação adequada + exercícios é a única fórmula que funciona.


No café da manhã por exemplo ovos são uma alternativa rápida e barata. Arroz integral, legumes, frango, frutas, enfim comida de verdade. Não precisa gastar rios de dinheiro com produtos diet / light ou comidas exóticas para atingir seu objetivo, até porque não é algo sustentável a longo prazo, lembre-se que não adianta seguir por um tempo e parar, pois você irá perder todo o resultado alcançado. Por isso habitue-se a consumir alimentos que você tem acesso com facilidade e de bom custo x benefício, isso ajudará você chegar na reeducação alimentar.

Tenha moderação quando bater aquela vontade

Todo mundo tem aquele momento que sente uma vontade louca de comer alguma coisa que não deveria, alguns com doces, outros com pizza, bebidas alcóolicas etc.


Isso é normal, quando for irresistível se permita consumir o alimento que você está com muita vontade e não se culpe por isso.
Apenas tenha cuidado com as quantidades, pode comer uma porção de chocolate, mas não a barra inteira, o mesmo vale para pizza, 1 ou 2 pedaços ok, a pizza toda já é exagero.


Depois de matar a vontade retorne imediatamente a rotina, nada de pensar: Já comi chocolate, estraguei a dieta então vou enfiar o pé na jaca. O segredo é ter equilíbrio, não sentir culpa pois um pedaço de chocolate não vai estragar nada e seguir em frente conforme planejado.

Acima de tudo, sinta prazer na sua alimentação!

Sente a mesa para comer, não se alimente com pressa ou mexendo no celular, preste atenção no que você coloca dentro do seu corpo, torne o momento da refeição agradável. Use essas dicas e o seu projeto de reeducação alimentar será um sucesso.

Se gostou, conheça os demais textos!

______________________________________________________________________________

Sara Assumpção, Nutricionista consultora em Food Service e varejo alimentar, formada e pós-graduada em Padrões Gastronômicos pela Universidade Anhembi Morumbi. Responsável pelas receitas da A Tal da Marmita, completamente apaixonada por cozinhar e experimentar novos sabores! CRN3: 23919